"Dona Estefânia" nasceu para recuperar o sabor ancestral das Queijadas de Sintra
26 May, 2022 Última Actualização 8:02 AM, 26 May, 2022

"Dona Estefânia" nasceu para recuperar o sabor ancestral das Queijadas de Sintra

 

Em Sintra, o mar toca a serra, o sol toca a frieza do nevoeiro e o passado toca o presente. É uma terra mística e cheia de história. E foi a história das Queijadas de Sintra que a Lusopress foi conhecer.

A origem das deliciosas Queijadas de Sintra, imortalizadas no romance "Os Maias" de Eça de Queiroz, perde-se no tempo, mas pensa-se que estas pequenas tartes já eram produzidas na região durante a Idade Média. Depois da massa e do recheio prontos, a Queijada de Sintra começa a ganhar forma. As excelentes pastagens de Sintra permitiam o fabrico de queijo fresco e era comum o excesso de queijo ser usado para confecionar estes doces, que depois podiam servir aos camponeses como forma de pagamento. O projeto Dona Estefânia é recente, mas chegou para recuperar o sabor ancestral das Queijadas de Sintra. Esta história começa quando o destino quis que as vidas de Pedro Gomes e Paulo Veríssímo se cruzassem e, como nada acontece por acaso, coisas boas e doces aconteceram. Foram ambos guiados pelo sonho de fabricar queijadas, fiéis às receitas tradicionais e artesanais de outrora, que passaram de geração em geração, quase intocáveis. Mas aqui, a queijada tem companhia. Apesar de ter raízes que se perdem no tempo, o travesseiro é mais recente. É um doce feito com massa folhada. O recheio é à base de doce de ovos, amêndoa e açúcar; vai ao forno e aí está ele. Antes de comer, de preferência quentinho, é polvilhado com açúcar. Seja pela Queijada de Sintra, ou pelo travesseiro, a Dona Estefânia está de portas abertas.

Newsletter

Subscreva a Newsletter para receber conteúdos semanais sobre Portugal e toda a comunidade Portuguesa!

 

Veja também...

A prática de petanca é uma tradição na cidade de Puteaux

 

A petanca é um jogo de origem francesa, criado no princípio do século XX. O seu nome deriva da expressão “pieds tanqués”, que significa pés juntos. Mais do que apenas um jogo, é já considerado um desporto, e existem Federações Nacionais que regulamentam a sua prática.

Ler notícia

CCIFP iniciou encontros com Comunidades Intermunicipais, começando com a região do Médio Tejo

 

O Consulado Geral de Portugal em Paris abriu as portas ao primeiro encontro entre a Câmara de Comércio e Indústria Franco-Portuguesa e uma Comunidade Intermunicipal. O evento teve como objetivo promover o território português e, na primeira edição, esteve em destaque a CIM Médio-Tejo, que reúne 13 municípios da região.

Ler notícia

Academia do Bacalhau de Paris realizou uma tertúlia no restaurante Le Chic

 

A primeira tertúlia após as recentes eleições da Academia do Bacalhau de Paris e sob a nova presidência do compadre Luís Gonçalves, teve lugar no restaurante Le Chic em Pierrelaye, nos arredores de Paris. Estiveram presentes cerca de 80 pessoas, na sua maioria comadres e compadres da academia. O jantar tertúlia teve como intuito a contribuição de fundos para quem mais precisa, e a associação escolhida foi a Les Voiles de I´Espoir, da qual a comadre Isabel da Ponte faz parte desde 2017. O objetivo é proporcionar um passeio durante uma semana a crianças que sofrem de cancro.

Ler notícia