Portugueses de Valor 2022: Nomeado Luís Marques Mendes
15 Aug, 2022 Última Actualização 11:55 AM, 8 Aug, 2022

Portugueses de Valor 2022: Nomeado Luís Marques Mendes

 

Luís Marques Mendes nasceu em Azurém, concelho de Guimarães, mas é em Fafe que residem todas as suas memórias de infância. Foi em Fafe que estudou, cresceu, fez amigos e se envolveu na vida social. Em criança, recorda-se de ir à missa com a mãe e de ir ao futebol com o pai, nascendo aí uma paixão pelo desporto.

Licenciou-se em Direito na FDUC, fez estágio de advocacia com o pai, em Fafe, e exerceu advocacia durante vários anos, até ao fim de 1985. A partir daí, durante 22 anos seguidos, deixou a advocacia para fazer vida política. Quando terminou a vida política, aos 50 anos, voltou a fazer advocacia, que é o que hoje ainda faz, sendo consultor na Abreu Advogados. “Foi a profissão que sempre quis ter”, diz.

Ainda teve uma experiência de quatro anos na gestão de uma empresa de energias renováveis. “Eu sempre disse, em criança, que gostava de ser advogado e político, e consegui ambas. Isso veio por influência do meu pai, que foi grande advogado e que também fez vida política antes e depois do 25 de Abril”.

Seriedade, lealdade e solidariedade são os valores pilar da vida de Luís Marques Mendes. “Sem seriedade, a vida é uma vergonha. É uma condição indispensável para vivermos uma vida com carácter e decência. A lealdade não significa subserviência, significa ser correto, leal com os amigos, colegas de profissão, conhecidos, até com os rivais. É uma questão de ética. A solidariedade, porque vivemos numa sociedade de terríveis injustiças e todos nós, os que têm mais condições, têm de ser solidários para com os outros”.

Sempre esteve ligado a instituições de carácter social. É presidente da Assembleia-geral da Misericórdia de Fafe, mas nos anos 80 já tinha sido vice-provedor. Foi presidente da direção durante vários anos do Centro Formação Juventude de Arões. Sempre teve ligação a várias corporações de bombeiros em Portugal. Tem condecoração da Cruz Vermelha Portuguesa.

Para si, ser português significa ter orgulho na nossa história e na nossa cultura. “Somos um país pequeno territorialmente depois de acabar o império, mas fomos sempre enormes. Enormes por causa da nossa história. Somos país com cultura muito forte, significativa e desafiante”.

Newsletter

Subscreva a Newsletter para receber conteúdos semanais sobre Portugal e toda a comunidade Portuguesa!

 

Veja também...

Museu Carmen Miranda, no Marco de Canaveses, reabriu com a exposição temporária "Antestreia"

 

O Museu Carmen Miranda, no Marco de Canaveses, reabriu com uma exposição temporária intitulada “Antestreia”, dedicada à artista e com a curadoria de António Ponte. O Museu Carmen Miranda encontrava-se encerrado para obras de requalificação e ampliação.

Ler notícia

Quinta de Santoinho celebrou os 50 anos de existência com grande festa para o público

 

Festa e arraial minhoto: é assim há 50 anos. A Quinta do Santoinho está de portas abertas desde 1972. O Santoinho nasceu pelas mãos de António Cunha, empreendedor no setor do turismo e transportes, ao sentir a necessidade de englobar num só espaço as vivências e a cultura do Minho.

Ler notícia

Arte para todos os gostos: as opções da Feira Nacional de Artesanato, em Vila do Conde

 

Os jardins da Avenida Júlio Graça, em Vila do Conde, voltaram a encher-se de artesanato. É aqui que decorre a 44ª edição da Feira Nacional de Artesanato. Das rendas de bilros, a feira foi abrindo portas a outros artesãos. Hoje, são cerca de 200 expositores, com artesãos de todo o país, que mostram o que de melhor fazem, com diferentes matérias-primas.

Ler notícia