Caminhada e jantar assinalaram o 48º aniversário da Revolução dos Cravos, em Champigny-sur-Marne
15 Aug, 2022 Última Actualização 11:55 AM, 8 Aug, 2022

Caminhada e jantar assinalaram o 48º aniversário da Revolução dos Cravos, em Champigny-sur-Marne

 

A 25 de Abril de 1974, há exatamente 48 anos, Portugal conquistava a sua democracia. Foi através da Revolução dos Cravos, que se viria a transformar numa importante data para Portugal e para os portugueses. Passou a significar conquista e liberdade, fazendo parte de um momento importante para a história de Portugal.

Esta data simbólica, que faz parte da história de Portugal, não é esquecida pelos portugueses que vivem fora de Portugal. Em Champigny-sur-Marne, nos arredores de Paris, local onde residem muitos portugueses esta data não passou despercebida e foi celebrada e assinalada com uma caminhada de solidariedade pela paz. Começou em frente Mairie de Champigny e estiveram presentes na marcha Maire de Champigny, Laurent Jeanne, Ricardo Bastos em representação da Embaixada de Portugal em França e Miguel Costa, em representação do Consulado Geral de Portugal, em Paris.

A caminhada terminou no monumento dedicado aos portugueses que chegaram a Champigny na década de 60. As autoridades francesas e portuguesas, juntamente com o presidente da associação Les Amis du Plateau, Armindo Feire, e que foi um dos organizadores do evento, salientaram a importância desta data para Portugal aos presentes. Em entrevista à Lusopress, o presidente da câmara de Champigny salientou que este foi um momento muito importante para Portugal e que, por isso, não deve ser esquecido.

Trata-se de uma data que, segundo Ricardo Bastos, representa a luta dos portugueses dentro e fora de Portugal, pela liberdade e pela democracia.Miguel Costa evidenciou a importância de assinalar o momento junto do monumento dedicados aos portugueses. O momento contou ainda com a atuação dos hinos nacionais de Portugal e de França, pela voz do cantor luso português Dan Inger.

 Depois desta iniciativa de celebração da Revolução dos Cravos decorreu, como já é tradição junto da comunidade portuguesa, o Jantar da Liberdade. Aconteceu no restaurante Canto da Saudade, em Champigny e contou com a presença de cerca de 100 pessoas. Durante o jantar, foram escutados sons da época do 25 de Abril de 1974, como poemas e músicas que fizeram parte da revolução.

Um dos momentos foi o testemunho de José Oliveira sobre o dia 25 de Abril de 1974, que viveu na primeira pessoa os acontecimentos vividos naquela época. Armindo Feire, presidente da associação Les Amis du Plateau, explicou a importância de transmitir às gerações futuras o significado desta data tão relevante para todos os portugueses. No final, uma das canções símbolo da revolução foi entoada e cantada por todos os presentes.

Newsletter

Subscreva a Newsletter para receber conteúdos semanais sobre Portugal e toda a comunidade Portuguesa!

 

Veja também...

Museu Carmen Miranda, no Marco de Canaveses, reabriu com a exposição temporária "Antestreia"

 

O Museu Carmen Miranda, no Marco de Canaveses, reabriu com uma exposição temporária intitulada “Antestreia”, dedicada à artista e com a curadoria de António Ponte. O Museu Carmen Miranda encontrava-se encerrado para obras de requalificação e ampliação.

Ler notícia

Quinta de Santoinho celebrou os 50 anos de existência com grande festa para o público

 

Festa e arraial minhoto: é assim há 50 anos. A Quinta do Santoinho está de portas abertas desde 1972. O Santoinho nasceu pelas mãos de António Cunha, empreendedor no setor do turismo e transportes, ao sentir a necessidade de englobar num só espaço as vivências e a cultura do Minho.

Ler notícia

Arte para todos os gostos: as opções da Feira Nacional de Artesanato, em Vila do Conde

 

Os jardins da Avenida Júlio Graça, em Vila do Conde, voltaram a encher-se de artesanato. É aqui que decorre a 44ª edição da Feira Nacional de Artesanato. Das rendas de bilros, a feira foi abrindo portas a outros artesãos. Hoje, são cerca de 200 expositores, com artesãos de todo o país, que mostram o que de melhor fazem, com diferentes matérias-primas.

Ler notícia